25 de julho de 2024

Ameaça de paralisação de Hidrelétrica no Amapá e perigo de apagão

Ações foram aprovadas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) e serão implementadas de imediato pelo Operador.
Foto: Internet
Foto: Internet

Ações foram aprovadas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) e serão implementadas de imediato pelo Operador.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) participou nessa quarta-feira, dia 4 de outubro, do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), e diante da condição crítica de seca na qual se encontra a bacia do rio Madeira, fez algumas recomendações.

Uma delas é que os órgãos competentes declarem a situação excepcional e temporária de escassez hídrica para a bacia, considerando que os cenários de previsão meteorológicas não indicam a melhoria deste cenário nos próximos dias. Com isso, será possível implementar medidas efetivas urgentes que permaneçam garantindo o suprimento de energia na região.

O objetivo desta iniciativa é ampliar a capacidade de manter o atendimento eletroenergético em futuros cenários de escassez hídrica e cheias extraordinárias na bacia do rio Madeira.

Foto: Internet
Foto: Internet

Foi deliberado sobre a realização de um estudo, sob coordenação da Secretaria Nacional de Transição Energética e Planejamento (SNTEP/MME), que contará com o apoio do ONS e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), sobre resiliência climática do sistema elétrico dos estados de Acre, Rondônia e Amapá.

As decisões excepcionais, são consequências da severa seca em bacias da região amazônica, e a estiagem é mais grave nos estados do Acre, Rondônia, Roraima, Amazonas e Amapá. O ONS reforça ainda o seu compromisso com a gestão equilibrada de recursos, considerando sempre nas suas decisões a manutenção da segurança do SIN e a minimização do custo global da operação.

As medidas da OMS para minimizar impactos da seca na região amazônica e garantir suprimento de energia, pode colocar em risco o fornecimento de energia elétrica no estado do Amapá.

5 respostas

  1. Papo furado. O Amapá fornece energia pra os 4 cantos do país, mas paga a mais alta tarifa. Vai alimentar os outros estados e vai ficar sem energia…

  2. Será que eu estou equivicado? Pois estava convícto que a nossa energia vinha do Turuí-AP. Em 2012 passei na serra da Velha Pobre próximo a cidade de Almerim-PA e vi a torre de 370 m que foi montada por elicóptero e do outro lado do Rio Amazônas outra torre exatamente onde a enegia do Tucuruí atravessou e veio também para o amapá ou não? Se verdade, porque o risco de apagão no nosso estado? Aliás muitos amapaenses estão sabendo que a nossa energia vem do pará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política de Privacidade

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar o conteúdo. Mais detalhes na Política de Cookies em nossa Política de Privacidade.