25 de julho de 2024

Homenagens, igarapés e cidades abriram o primeiro dia de desfiles na Ivaldo Veras; o Carnaval amapaense começou

Emoção, do início ao fim, tomou conta do Sambódromo amapaense entre culturas, fé e conscientização social.
Foto: Arquivo GEA
Foto: Arquivo GEA

Raimundo Tavares partiu em 2023 três dias anteriores ao início do Carnaval daquele ano. “Sucuriju”, como era popularmente chamado, desde 2003, ocupou, honradamente, o posto de Rei Momo do Carnaval do Amapá.

Ontem, 09, o trono, o cetro e a coroa que o pertenciam, em homenagem à sua memória, estavam presentes para abençoar o começo de mais um período carnavalesco tucuju. Então, os primeiros sons do surdo, repique, chocalho, cuíca e tamborim ecoaram desde a Avenida Ivaldo Veras, a avenida do samba onde se localiza o Sambódromo da capital.

As primeiras escolas de samba a desfilar na passarela foram a Embaixada de Samba Cidade de Macapá, com mil brincantes, homenageando o aniversário da cidade com o enredo “Macapá querida, cidade cheia de vida”. E, logo após, a escola fundada pelo Rei Momo “Sucuriju”, Império da Zona Norte, com 1.200 brincantes, demonstrou o enredo Bem-vindo a Tartarugalzinho: terra do Mineiro, o grande pioneiro”. Ambas pertencentes ao Grupo de Acesso deste ano.

Foto: Crystofher Andrade/GEA
Boêmios do Laguinho levou fé e reconhecimento às mulheres no desfile | Foto: Crystofher Andrade/GEA

A Império do Povo, com 1.200 brincantes, agremiação do município de Santana e campeã do acesso em 2023, veio a seguir inaugurando o desfile do Grupo Especial com um enredo sobre a tradicional comunidade quilombola do Igarapé do Lago: “A Folia da Mãe de Deus da Piedade“. Em seguida, a Piratas Estilizados adentrou à Ivaldo Veras com 1.200 brincantes com um enredo que associou a mitologia com energia sustentável e a fé: “A energia que conduz a paixão alaranjada”.

Encerrando os desfiles do primeiro dia, também com 1.200 brincantes, a tradicional Boêmios do Laguinho, a exemplo da Império do Povo, homenageou outro igarapé, o das Mulheres, com o enredo “Lindo Igarapé: Das mulheres, dos poetas, da cultura e da fé“.

Carnaval e conscientização desfilam juntos

Entre cores, amores e sabores que se aperceberam na diversidade cultural da passarela do samba amapaense, temáticas sociais e referentes à saúde, como “depois do não tudo é assédio”, chamaram a atenção. Como a conscientização contra a violência às mulheres – Bloco ‘Medida Protetiva’ – campanha pela vacinação contra a Influenza (gripe) e Covid-19, e a proteção contra Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), estavam no rol de campanhas educativas do poder público.

Bloco “Medida Protetiva” levou ao Sambódromo tucuju a conscientização contra assédio sexual e moral a mulheres. Foto: Jorge Júnior/GEA
Bloco “Medida Protetiva” levou ao Sambódromo tucuju a conscientização contra assédio sexual e moral a mulheres. Foto: Jorge Júnior/GEA

Neste sábado, 10, no último dia de desfile no Sambódromo, se apresentarão as escolas Emissários da Cegonha, Solidariedade – ambas do Grupo de Acesso, Maracatu da Favela, Unidos do Buritizal e a atual campeã do Carnaval tucuju, Piratas da Batucada, do Grupo Especial, encerrando os desfiles de 2024.

Confira a programação das escolas que desfilam no sábado, 10:

  1. Emissários da Cegonha – 22h 
  2. Solidariedade – 23h35
  3. Maracatu da Favela – 1h10
  4. Unidos do Buritizal – 2h45
  5. Piratas da Batucada – 4h20

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política de Privacidade

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar o conteúdo. Mais detalhes na Política de Cookies em nossa Política de Privacidade.