15 de julho de 2024

Na antevéspera dos 266 anos de Macapá, a PMM resgata a mobilidade urbana da capital; a esperança do povo também

Cidade feia, ruas e passarelas à míngua. Assim era o ir e vir da capital antes da repaginação atual que a Prefeitura de Macapá vem realizando. O “faz de conta” acabou.
Passarela de concreto facilita vida de moradores no bairro Universidade. Mais de 100 quilômetros dessas estruturas já foram construídas, ou reformadas, pela Prefeitura de Macapá. Foto: Jesiel Braga/PMM.
Passarela de concreto facilita vida de moradores no bairro Universidade. Mais de 100 quilômetros dessas estruturas já foram construídas, ou reformadas, pela Prefeitura de Macapá. Foto: Jesiel Braga/PMM.

Sequenciando o especial do EDnews – Portal de Notícias, sobre a nova Macapá que vem surgindo no horizonte do seu aniversário de 266 anos, a partir da administração do prefeito Antônio Furlan (@dr.furlan), a pauta, agora, se evidencia na mobilidade urbana da capital. 

Com recursos provenientes do Tesouro Municipal e de contrapartidas parlamentares, renovadas passarelas, novos pavimentos em bloquetes e asfálticos vêm modificando a vida das pessoas, como nunca, qualificando a capital como uma metrópole em constante desenvolvimento.

Passarelas: o ir e vir com qualidade

Estimativas da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana de Macapá (SEMOB) indicam que 16% da população macapaense reside em áreas de ressaca, acrescida por uma migração ocorrida por pessoas de outros estados, iniciada ainda na década de 90, para estes locais, em busca da casa própria. Diversas dificuldades foram surgindo com o tempo, entre elas, a desintegração gradativa das passarelas de madeira, verdadeiras vias que servem de ligação entre as pessoas e para a prestação de diversos serviços.

Desde 2021, quando a atual gestão da Prefeitura Municipal de Macapá assumiu, cerca de 100 quilômetros de passarelas já foram construídos ou revitalizados em diversos bairros da cidade e em seus distritos. Importante ressaltar que, além de construir ou renovar passarelas, a PMM também ergue ou melhora os sistemas de iluminação destas, consagrando, também, a segurança dos moradores. 

Caminhos com obstáculos são sempre uma desvantagem, como a pessoas que necessitam de atendimento à saúde, ou às que possuem alguma deficiência e, ainda, a idosos e grávidas. A garantia do direito de locomoção dos cidadãos, assegurada através de passarelas de madeira, mistas ou de concreto, que são erguidas com materiais duradouros, já vêm facilitando e dignificando a vida dos moradores de bairros como o Universidade, que recebeu mais de 1 quilômetro de passarela, contemplando, assim, mais de 15 mil moradores. 

No distrito mais longe de Macapá, as pessoas também estão tendo o direito de caminhar com a confiança redobrada. No Bailique, a PMM também já levou mais qualidade de vida aos habitantes daquele arquipélago ao instalar 9 quilômetros de passarela em 20 comunidades. E , no último dia 31, em parceria com o senador Lucas Barreto (@lucasbarreto_ap), o prefeito Antônio Furlan assinou ordem de serviço para construção de mais 2 quilômetros de passarelas de concreto em mais quatro comunidades do Bailique, um investimento que ultrapassa os R$ 3 milhões.

Pavimento intertravado destrava a vida dos cidadãos

A pavimentação através do assentamento de bloquetes, ou pavimento intertravado, é uma alternativa muito utilizada por prefeituras Brasil afora por apresentar características interessantes ao poder público, tais quais: mão-de-obra a baixo custo; é ecologicamente viável, pois evita enchentes por facilitar o escoamento das águas pluviais; e absorve menos calor que o asfalto, tornando o passeio público mais confortável.

Prefeito Furlan inaugurou 2 quilômetros de pavimentação em bloquetes, no bairro Goiabal. Ficou para trás os tempos de poeira e lama. Foto: Jesiel Braga/PMM.
Prefeito Furlan inaugurou 2 quilômetros de pavimentação em bloquetes, no bairro Goiabal. Ficou para trás os tempos de poeira e lama. Foto: Jesiel Braga/PMM.

A Prefeitura de Macapá, ainda melhorando a qualidade da mobilidade urbana da capital, vem atuando, neste sentido, em bairros e na zona rural. No Goiabal, antes tomado por lama e poeira, mais de 2 quilômetros de bloquetes foram instalados, com serviço completo que incluiu a terraplanagem, o próprio pavimento intertravado, além da construção de meio-fio e de sarjeta. O investimento próprio do Tesouro Municipal totalizou R$ 3,8 milhões

Na comunidade rural de Tessalônica, o prefeito Antônio Furlan assinou, em dezembro último, uma ordem de serviço para o início da pavimentação de 575 metros, em bloquetes, naquela região. Os blocos de concreto serão fabricados por operários da própria comunidade, gerando emprego e renda, além de beneficiar a sua mobilidade urbana. O valor investido na obra é de R$ 1,8 milhões, entre emenda parlamentar do senador Lucas Barreto e contrapartida da PMM.

Quilômetros de asfalto e de vida nova

Nos tópicos anteriores, o EDnews – Portal de Notícias, neste especial de aniversário de 266 anos de Macapá, abordou sobre duas categorias da mobilidade urbana que interferem positiva e diretamente na qualidade de vida dos macapaenses: a construção e renovação de passarelas e assentamento de bloquetes. 

Mas, há outro setor, não menos relevante para o progresso da capital, que a gestão do prefeito Antônio Furlan, também através da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana de Macapá (SEMOB), vem destacando com bastante afinco desde que assumiu em 2021. Mais de 200 quilômetros de pavimento asfáltico, um feito inédito na cidade, já foram aplicados

Como exemplo também de austeridade financeira, o poder executivo municipal investiu, do tesouro próprio, no revestimento asfáltico de um bairro inteiro. Na Zona Zul, recentemente, o tradicional Araxá foi agraciado com 6 quilômetros de asfalto, totalizando 16 vias, entre ruas e avenidas

Além da infraestrutura básica como meio-fio, sarjeta e a sinalização apropriada, toda a nova extensão asfáltica recebeu drenagem profunda e superficial e postes com iluminação com tecnologia em led, para que o bairro inteiro atenda plena e devidamente à população. Com os 6 quilômetros, por fim, a PMM completou 11 quilômetros de pavimento asfáltico e 33 vias contempladas no belo Araxá, às margens do majestoso Amazonas, em um investimento total de R$ 20 milhões.

O bairro inteiro do Araxá pavimentado. PMM renova esperança de moradores com feito inédito. Foto: Jesiel Braga/PMM.
O bairro inteiro do Araxá pavimentado. PMM renova esperança de moradores com feito inédito. Foto: Jesiel Braga/PMM.

Na Zona Norte, o Executivo municipal também tem exemplos de que a capital está se renovando, sem precedentes, às vésperas de completar 266 anos. Idem com investimentos do Tesouro Municipal, na ordem de R$ 11 milhões, 12 vias, totalizando 5,5 quilômetros de pavimentação asfáltica, avançam no bairro Jardim Felicidade II

Às margens do rio mais belo, o Amazonas, o trecho que se estende em 4 quilômetros da orla até o centro comercial, também recebeu a atenção da PMM. Mais R$ 11 milhões investidos pela prefeitura (contrapartida) em conjunto com alocações parlamentares do senador Davi Alcolumbre (@davialcolumbre).

Crédito: Luiz Felype Santos/PMM.
Crédito: Luiz Felype Santos/PMM.

No Distrito de Fazendinha, uma das principais sedes do tradicional Macapá Verão (a ver neste especial de aniversário da capital tucuju), a comunidade não poderia ficar alheia ao desenvolvimento garantido pela gestão de Antônio Furlan. Em progresso, 1 quilômetro de pavimentação asfáltica, ao custo de R$ 607 mil provenientes dos cofres municipais, no Ramal da Cascalheira.

A evolução da quilometragem da mobilidade do cidadão e da gestão

É visível que a administração atual vem solucionando os problemas referentes à mobilidade urbana de Macapá – área que outrora era considerada abandonada –, principalmente nos aspectos de visibilidade urbana, segurança no trânsito, conforto ao dirigir e confiança no desenvolvimento da nova metrópole que a capital vem se tornando. 

O direito de ir e vir sacramentado e respeitado, a preservação da saúde, a redução de prejuízos financeiros a transeuntes e proprietários de quaisquer veículos, o crescimento da economia através da geração de emprego agregado nas obras administradas pela PMM. Fatores essenciais que atestam a relevância inequívoca da renovada política de mobilidade urbana da capital. Por fim, a conscientização direcionada à população de que Macapá tem o amplo direito de, definitivamente, ser a Joia da Amazônia. E sem aspas.

2 respostas

  1. Hoje nós temos um gestor que se preocupa com o o bem-estar cidadão. Minha cidade nunca foi tão cuidada. Não temos um prefeito, temos um pai.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política de Privacidade

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar o conteúdo. Mais detalhes na Política de Cookies em nossa Política de Privacidade.