15 de julho de 2024

No Dia do Trabalhador, Novo Caged revela elevação nos empregos formais no Amapá

A cada novo levantamento do Novo Caged, o Amapá, e a capital Macapá, despontam com números promissores. Se o ritmo de empregabilidade formal permanecer como se apresenta mês a mês, a tendencia de novas vagas surgirem é real.
A cada novo levantamento do Novo Caged, o Amapá, e a capital Macapá, despontam com números promissores. Se o ritmo de empregabilidade formal permanecer como se apresenta mês a mês, a tendencia de novas vagas surgirem é real.
A cada novo levantamento do Novo Caged, o Amapá, e a capital Macapá, despontam com números promissores. Se o ritmo de empregabilidade formal permanecer como se apresenta mês a mês, a tendencia de novas vagas surgirem é real.

Os dados mais recentes do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) revelam um cenário promissor para o mercado de trabalho no Amapá, com um saldo positivo de 277 novos empregos com carteira assinada em março de 2024. Este aumento contribui para o total de 1,7 mil novas vagas formais de trabalho criadas no estado durante o primeiro trimestre do ano.

Analisando os setores econômicos, o de Serviços liderou a geração de empregos, com 297 novas posições, seguido pela Indústria e Comércio, que adicionaram 51 e 18 postos, respectivamente. No entanto, a Construção e a Agropecuária apresentaram desempenhos negativos, com reduções de 57 e 32 vagas.

A capital, Macapá, demonstrou um desempenho notável, concentrando o maior saldo de empregos do período, com 319 novas vagas formalizadas, elevando o total de trabalhadores formalizados na cidade para 72,4 mil. Em contraste, o acumulado do ano até março mostra um crescimento de 719.033 novos empregos com carteira assinada em todo o Brasil, um aumento de 34% em relação ao mesmo período de 2023.

O Novo Caged, no levantamento de fevereiro, avaliou que Macapá havia alcançado um índice considerável na geração de empregos formais desde 2021, início da gestão do prefeito Antônio Furlan (MDB). Naquele ano, em janeiro, a capital havia empregado 51.920 pessoas com carteira assinada. No findar de 2021, a Prefeitura de Macapá havia registrado mais 15.440 empregos formais.

Em dezembro de 2023, com um aumento de 7,4% em relação ao ano de 2022, o número subiu para 67.008. E continua aumentando. Comparativamente, em março de 2023, o Amapá registrou um saldo de 989 postos de trabalho, o que representa uma variação positiva em relação ao ano anterior.

Este crescimento pode ser atribuído a uma série de fatores, incluindo políticas governamentais voltadas para a estimulação econômica e investimentos em setores chave como florestal, saneamento e energia. Tais medidas parecem ter gerado um ambiente propício para a criação de empregos formais, especialmente após o período de recuperação pós-pandemia.

O crescimento do emprego formal no Amapá, especialmente em Macapá, tem sido notável nos últimos anos. Vamos explorar alguns fatores que contribuíram para esse aumento: 

Medidas Governamentais e Investimentos: o governo do estado do Amapá implementou uma série de medidas para estimular o crescimento econômico e a geração de empregos. Isso inclui investimentos em setores como florestal, saneamento e energia. Essas iniciativas têm contribuído para o aumento do emprego formal. 

O governador Clécio Luís (SD), além de obras como o novo Hospital de Emergências, vem implementando políticas públicas ambientais que chamaram a atenção do embaixador da Áustria, Stephan Scholz, que veio ao Amapá para conhecer mais de perto a bioeconomia. A autoridade austríaca, por conseguinte, convidou o governador para apresentar, na Embaida da Áustria, para países da União Europeia, Oriente Médio e Ásia, como funciona o manejo florestal na Reserva Extrativista do Maracá, no histórico município de Mazagão.

Agendas ambientais vêm movimentando a economia amapaense, como o incentivo à bioeconomia por parte do governador Clécio e do senador Randolfe Rodrigues. O embaixador da Áustria, Stefan Scholz (entre Clécio e Randolfe, ficou admirado quando veio ao Amapá ver como o manejo florestal funciona. Foto: Redes sociais do governador Clécio Luís.

Recuperação Pós-Pandemia: o Amapá foi o estado que mais registrou aumento de empregos formais após o período da pandemia. A taxa de crescimento se manteve em 33%, demonstrando resiliência econômica.

Macapá como Destaque: A capital do Amapá viu um aumento significativo nos empregos formais nos últimos anos. Em 2022, a cidade registrou 62.659 pessoas empregadas, em 2023 esse número ultrapassou 67 mil. Isso representa um crescimento de 21% em relação a 2020. Prova de que Macapá, há três anos, atravessa um processo de modernização, com investimentos significativos em praticamente todos os setores de infraestrutura de Macapá. Só em pavimentação, a PMM já concluiu mais de 200 km. Na Educação, novas escolas estão sendo construídas, além de pontos de lazer já inaugurados e os que ainda serão apresentados à população, como o Parque do Meio do Mundo, que cujo investimento foi de R$ 22 milhões.

Macapá e seus distritos passam por uma nova fase de diversos investimentos e consequentes obras que oportunizam mais vagas de emprego em todos os setores de infraestrutura, para todas as formações. A meta do prefeito Antônio Furlan, de acordo com obras já concluídas e as que ainda estão por vir, é passar dos 80 mil empregos formais.

Prefeito Antônio Furlan (MDB) vistoriando uma das inúmeras obras existentes em Macapá. Na história, a capital nunca havia recebido tantos recursos. E quanto mais obra, mais emprego. Foto: Reprodução.

O cenário nacional também reflete essa tendência ascendente, com o estoque de trabalho com carteira assinada atingindo um recorde de 46,23 milhões de pessoas em março de 2024, comparado a 44,58 milhões no mesmo mês do ano anterior. Este aumento no estoque de empregos formais é um indicativo da recuperação e fortalecimento da economia brasileira como um todo.

Em suma, os dados do Novo Caged de março de 2024 para o Amapá, em comparação com períodos anteriores, mostram uma evolução positiva no mercado de trabalho. As políticas implementadas e o ambiente econômico favorável parecem ter contribuído significativamente para este crescimento, refletindo não apenas na economia local, mas também na nacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política de Privacidade

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar o conteúdo. Mais detalhes na Política de Cookies em nossa Política de Privacidade.