23 de julho de 2024

O Brasil também já quis tomar uma das Guianas

A Venezuela quer anexar parte do território da Guiana, e a disputa causa tensão na região. No domingo, Caracas anunciou que mais de 95% dos eleitores apoiaram a proposta de criar a província venezuelana do Essequibo.
Rio Okay, na Guiana Francesa. País faz fronteira com o Brasil no Estado do Amapá. Imagem: Getty Images/iStockphoto
Rio Okay, na Guiana Francesa. País faz fronteira com o Brasil no Estado do Amapá. Imagem: Getty Images/iStockphoto

A Venezuela quer anexar parte do território da Guiana, e a disputa causa tensão na região. No domingo, Caracas anunciou que mais de 95% dos eleitores apoiaram a proposta de criar a província venezuelana do Essequibo.


No passado, o Brasil já teve um plano de anexar outra Guiana, a Guiana Francesa, na década de 1960. O território ultramarino pertence à França e faz fronteira com o Amapá.

O que aconteceu

O então presidente do Brasil Jânio Quadros expressou sua vontade de invadir e anexar o território da Guiana Francesa ao Brasil, em agosto de 1961. Ele se reuniu com o governador do Amapá na época.

O nome da operação para anexar a Guiana Francesa era Cabralzinho. O termo era uma homenagem ao general Francisco Xavier da Veiga Cabral, que foi um dos responsáveis por expulsar franceses que tinham invadido o território do Amapá, em 1895.

Jânio pediu para o governador criar um plano. O planejamento envolvia enviar combatentes e embarcações para render o contingente militar francês do país.

O motivo da anexação? Exploração de manganês. Havia relatos de que pessoas da Guiana Francesa entravam no Amapá, extraíam manganês de forma clandestina, levavam para o país e de lá exportavam para a Europa. O manganês é usado para produção de aço e ligas de alumínio.

O plano não foi adiante. O presidente Jânio Quadros renunciou em 25 de agosto de 1961, antes de qualquer tipo de ação dos soldados brasileiros. Além da Guiana Francesa, Jânio Quadros tinha manifestado planos de tentar anexar o Uruguai ao território do Brasil.

A matéria é originária do Grupo UOL, a maior empresa brasileira de conteúdo, serviços e produtos da internet. Leia a matéria completa aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política de Privacidade

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar o conteúdo. Mais detalhes na Política de Cookies em nossa Política de Privacidade.