15 de julho de 2024

Parque Meio do Mundo é inaugurado; o que ontem era nada, hoje é vida.

Antes um terreno ermo, área que fica entre o Sambódromo e o Estádio Zerão literalmente ganha vida com o Parque Meio do Mundo.
Foto: PMM

O prefeito Antônio Furlan (MDB) entregou à população, há pouco, o maior centro de lazer do Amapá, o Parque Meio do Mundo. São 69.000 metros quadrados de área construída que apresenta ao povo macapaense uma série de opções, não apenas de lazer, mas também de esporte, educação e cultura, como as gigantes estruturas que foram construídas de animais que representam a biodiversidade amazônica.  

Assim era a área antes da inauguração do Parque Meio do Mundo. Um lugar totalmente ermo e sem vida. Foto: Bee Movie

O investimento para construir o parque, que antes era um descampado sem uso algum, inclusive perigoso para quem por ali transitava, foi da própria Prefeitura de Macapá que investiu R$ 22.601.009,26. O parque não apenas oferece uma nova opção de entretenimento para os moradores e visitantes, mas também se posiciona como um catalisador para o turismo, com potencial para impulsionar a economia local e promover a inclusão social.

A mesma área da foto acima, com a diferença de que, a partir de hoje, tem 69 mil metros quadrados de de vida. Foto: Reprodução

O imenso espaço também homenageia a singularidade geográfica de Macapá, tendo sido construído, de forma estratégica, como uma interseção do Monumento Marco Zero do Equador e do Estádio Milton de Souza Corrêa, o Zerão, únicos no mundo por sua localização na Linha do Equador. Esses locais não são apenas pontos turísticos e esportivos, mas são símbolos incontestes da identidade macapaense, celebrando a posição única da cidade no globo terrestre.

O parque, segundo a assessoria da PMM, é a 19ª praça que o prefeito Furlan entregou, entre as que foram recuperadas e as construídas integralmente. O belo lugar ainda é ‘vizinho’ da Praça Povos do Meio do Mundo, inaugurada no dia do aniversário de Macapá, 04 de fevereiro, homenageando os quatro povos que representam a identidade pura do amapaense, que são o caboclo, o ribeirinho, o indígena e o negro. Ou seja, a PMM não construiu apenas dois espaços diferenciados, mas sim um complexo turístico.

Um dos símbolos de resistência do bioma amazônico, a onça-pintada representando bem em seu novo habitat. Foto: Merlin Paes/PMM

O prefeito Furlan destacou que o parque é um dos maiores complexos turísticos da cidade e um indutor chave do desenvolvimento socioeconômico e cultural. Ele ressaltou a importância do projeto, que foi discutido em todas as suas etapas, para transformar a capital a partir de um novo conceito de espaço público.

Mesmo sob chuva, população foi prestigiar o complexo multifuncional que o Parque Meio do Mundo se tornou já na inauguração. Foto: Reprodução

Com a inauguração do Parque do Meio do Mundo, Macapá se consolida como um destino turístico emergente, enriquecendo sua oferta de espaços de lazer e contribuindo para o bem-estar social e o crescimento econômico. Este empreendimento não é apenas um investimento na infraestrutura da cidade, mas também um investimento no seu povo, na sua cultura e no seu futuro. 

O parque conta com uma variedade de atrações, incluindo o Espaço Selvinha Meio do Mundo com réplicas de animais da fauna amazônica, um chafariz com escultura de uma bacabeira, praça de alimentação, bicicletário, academia ao ar livre, bosque, anfiteatro, além de uma ampla arborização e área verde. A infraestrutura foi pensada para promover a prática esportiva, a consciência ambiental e a economia criativa, com acessibilidade em todos os ambientes, também respeitando e privilegiando pessoas com deficiência.

Um dos espaços de lazer do Parque Meio do Mundo. Tem diversão, aprendizado e esporte a quem quiser. Foto: Merlin Paes/PMM

O projeto arquitetônico, concebido pelo renomado arquiteto Cláudio Nina, é um exemplo de sustentabilidade e saúde, com mais de um quilômetro de pista de caminhada e áreas que tornam o ambiente agradável para todos. Além do seu valor recreativo, o Parque Meio do Mundo é um motor de desenvolvimento econômico e social. Macapá não só ganha um novo espaço de lazer, mas também reafirma seu compromisso com a sustentabilidade e o desenvolvimento urbano inteligente.

Cláudio Nina é um arquiteto renomado com uma vasta experiência em projetos urbanos. Aqui estão alguns de seus trabalhos mais impactantes:

  1. Parque Meio do Mundo, Macapá: Cláudio Nina é o arquiteto responsável pelo projeto do Parque Meio do Mundo em Macapá. Este parque, que se estende por uma área de mais de 50 mil m², é um dos maiores complexos turísticos da cidade e um grande indutor do desenvolvimento socioeconômico e cultural.
  2. Praia de Ponta Negra, Manaus: Cláudio Nina também é o autor do projeto da Praia de Ponta Negra em Manaus. Este é um dos pontos turísticos mais populares de Manaus, conhecido por sua bela praia e pela vida noturna vibrante.
  3. Parque Rio Branco, Boa Vista: Outro projeto significativo de Cláudio Nina é o Parque Rio Branco em Boa Vista. Este parque é a maior obra turística de Boa Vista e é um exemplo do compromisso de Nina com a sustentabilidade e a saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política de Privacidade

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar o conteúdo. Mais detalhes na Política de Cookies em nossa Política de Privacidade.