25 de julho de 2024

Sem aposentadoria. PF/AP prende quatro idosos em meio a grupo criminoso

Monitorados há um tempo, quatro anciões e mais quatro indivíduos foram capturados na manhã desta quinta-feira para voltar a cumprir suas penas. O grupo ainda é suspeito de ter cometido vários crimes fora do cárcere.

Na manhã desta quinta-feira (23), a Polícia Federal do Amapá realizou uma operação denominada “Senes Malus”, resultando na prisão de oito indivíduos que estavam foragidos. Entre os detidos, o que chama a atenção é que quatro são idosos, sendo que um deles tem 72 anos. As prisões aconteceram nos bairros Igarapé da Fortaleza, Congós, Perpétuo Socorro, Marabaixo e Novo Horizonte, nas cidades de Macapá e Santana.

A Operação “Senes Malus” foi cuidadosamente planejada e executada, com a mobilização de equipes especializadas da Polícia Federal e também da Polícia Civil. Esta colaboração foi essencial para o sucesso da ação, que tinha como objetivo cumprir diversos mandados de prisão emitidos pela Justiça Federal e Estadual. Contra os detidos pesam acusações graves, incluindo homicídio, lesão corporal, estupro de vulnerável e ameaça.

Durante a ação, as forças de segurança utilizaram tecnologia de ponta e inteligência policial para localizar e capturar os foragidos. Cada local de prisão foi minuciosamente monitorado para garantir que a operação ocorresse sem incidentes e com a máxima eficiência. As prisões em bairros como Igarapé da Fortaleza e Congós exigiram um planejamento logístico detalhado devido à complexidade dessas áreas urbanas.

A escolha do nome da operação, “Senes Malus”, reflete justamente a idade avançada de quatro dos oitos presos, sublinhando um aspecto peculiar desta operação. A polícia destacou que, apesar da idade, os indivíduos detidos representavam uma ameaça significativa à segurança pública. O nome tem origem no latim. “Senes” significa “idosos” ou “velhos”; e “Malus” pode ser traduzido como “mau” ou “ruim”. Assim, a expressão “Senes Malus” pode ser interpretada como “idosos maus” ou “velhos ruins”.

Se condenados, os oito investigados sofrerão penas que podem durar décadas, fora as penas que estavam a cumprir antes de serem recapturados. Abaixo, demonstrativo sobre o tempo de pena de acordo com o crime que os oito supostamente cometeram.

1. Homicídio:

– Homicídio simples: pena de 6 a 20 anos de reclusão.

– Homicídio qualificado: pena de 12 a 30 anos de reclusão.

2. Lesão Corporal:

   – Lesão corporal leve: pena de 3 meses a 1 ano de detenção.

   – Lesão corporal grave: pena de 1 a 5 anos de reclusão.

   – Lesão corporal seguida de morte: pena de 4 a 12 anos de reclusão.

3. Estupro de Vulnerável:

   – Pena de 8 a 15 anos de reclusão.

   – Se resultar em lesão corporal grave: pena de 10 a 20 anos de reclusão.

   – Se resultar em morte: pena de 12 a 30 anos de reclusão.

4. Ameaça:

   – Pena de 1 a 6 meses de detenção ou multa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política de Privacidade

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar o conteúdo. Mais detalhes na Política de Cookies em nossa Política de Privacidade.